Tragédia: mãe cai da cama sobre recém-nascido durante amamentação e os dois não resistem | Brazil News Informa



Tragédia: mãe cai da cama sobre recém-nascido durante amamentação e os dois não resistem | Brazil News Informa





Um bebê recém-nascido e sua mãe morreram depois que ela teve um ataque epilético durante a amamentação e caiu da cama em cima dele. Casada e mãe de três filhos, Marie Downey, 36, de Cork, na Irlanda, foi encontrada morta em seu quarto no Cork University Maternity Hospital (CUMH) em 25 de março de 2019, por seu obstetra.

No entanto, somente nesta quinta-feira (18), o inquérito foi finalizado indicando as causas das mortes. Segundo os médicos, o bebê era "normal e bem nutrido". O exame post mortem confirmou que ele morreu de insuficiência respiratória aguda como resultado de asfixia por compressão e falência de múltiplos órgãos.

 Ou seja, o peso do corpo de sua mãe pressionando-o ao longo de vários minutos teria causado danos cerebrais irreversíveis. "Isso comprimiu fortemente o coração, impedindo que o sangue fosse bombeado para o coração e para o cérebro", explicou o médico legista. Segundo ele, quando Marie foi erguida de cima dele, "o estrago já estava feito". Darragh "nunca recuperou a consciência", portanto "não houve sofrimento".

Marie, que tinha outros dois filhos, foi diagnosticada com epilepsia em 2010 e teve várias convulsões durante as duas gestações anteriores, informou o inquérito. Ela foi tratada pelo mesmo obstetra e ginecologista em todas as suas três gestações, que disse ter experiência com mulheres grávidas epilépticas. Marie parou de tomar anticonvulsivantes para epilepsia enquanto esperava seu primeiro filho, devido a preocupações com a gravidez, mas começou a tomá-los novamente após ter uma convulsão na 30ª semana.

 De acordo com o obstetra, ele e Marie haviam discutido os riscos de não tomar a medicação, e ambos estavam satisfeitos com o retorno ao tratamento prescrito por seu neurologista. 

Marie continuou a tomar medicamentos durante as duas gestações seguintes. No entanto, durante a última gravide, ela não teria comparecido as consultas com o neurologista. O obstetra acrescentou que o estresse e a fadiga eram "precipitadores de convulsões" em Marie, e que a amamentação poderia ter contribuído para seu estresse.

Fonte: Crescer

Postar um comentário

0 Comentários