Homem esgana genital com porca de 2cm enquanto se tocava| Brazil News Informa



Homem esgana genital com porca de 2cm enquanto se tocava| Brazil News Informa


Na hora da relação e vontade tudo é permitido? Uma questão com uma resposta complexa, talvez. O uso de brinquedos para a estimulação itnima é prática comum, por exemplo. Mas e quando o item acaba se tornando um risco a saúde?

Um jovem vietnamita de 24 anos precisou da ajuda de uma broca odontológica para remover uma porca de aço de 2,2 centímetros de espessura que havia sido colocada ao redor do eixo da genital para “realce intimo durante o ato”.

O objeto, que permaneceu durante dez horas na região intima, foi utilizado para simular o acessório explicito chamado de anel para genital, mas provocou um estrangulamento do órgão genital. A situação levou o homem a buscar a emergência hospitalar, e o caso foi relatado na revista científica Journal of Medical Case Reports por médicos do Hospital Cho Ray, no Vietnã.

De acordo com a publicação, o paciente colocou a porca de aço na genital para “aumento intimo”, mas não conseguiu retirá-la após se tocar. Assim, depois de dez horas, ele deu entrada no serviço de emergência com dores, dificuldade para urinar e diminuição da sensibilidade na genitália. Segundo os médicos, não havia necrose no órgão e o caso foi enquadrado como uma lesão na genital de grau III.

O rapaz recebeu analgésicos e sedativos para a dor, e os médicos passaram a tentar realizar a retirada do objeto com o auxílio de lubrificantes, mas não tiveram sucesso devido ao quão apertada a porca estava na região. Eles então utilizaram uma broca odontológica para conseguir cortar o objeto. O procedimento durou cerca de 45 minutos.

O objeto media 2,7 cm de diâmetro interno, 4,1 cm de diâmetro externo e 2,2 cm de espessura. O paciente foi colocado em uso de antibióticos para evitar infecções bacterianas e passou por uma consulta psiquiátrica para que fosse avaliado um comportamento autolesivo, o que foi descartado. Ele teve alta um dia após a internação, sem intercorrências.


Fonte: 

Postar um comentário

0 Comentários