Cientistas querem "ressuscitar" mamífero extinto há 120 anos | Brazil News Informa



Cientistas querem "ressuscitar" mamífero extinto há 120 anos | Brazil News Informa





Trazer espécies extintas de volta à vida é um conceito difundido no mundo afora. Até o momento, apenas uma espécie foi realmente trazida de volta à vida pelos cientistas: um íbex-dos-Pireneus, clonado a partir do DNA da pele congelada do animal. Na fila para a “ressuscitação”, temos bichos como o mamute lanoso e o tigre da Tasmânia.

Mas a estrela da vez é um animal bem menor: o rato da Ilha Christmas, espécie de roedor extinto há 120 anos. O trabalho em questão, publicado por pesquisadores na Current Biology na última quarta-feira, 9 de março, faz uso das tecnologias mais atuais em termos de genética evolutiva. Tom Gilbert, geneticista evolutivo da Universidade de Copenhague, é o principal autor do estudo, feito com mais 11 colegas.

O método escolhido para o ratinho da Ilha Christmas é a edição de genes. Nele, o DNA sobrevivente da espécie extinta é comparado com o genoma de uma espécie relacionada mais moderna.

 A partir daí, são usadas técnicas como a CRISPR (Repetições Palindrômicas Curtas Agrupadas e Regularmente Interespaçadas), com o objetivo de editar o genoma moderno nos trechos onde ele se diferencia do DNA antigo. A partir das células modificadas, pode-se criar um embrião, que é implantado em um hospedeiro.

Fonte: Canal Tech

Postar um comentário

0 Comentários