Publicidade

Tinta no olho: tatuador é condenado a pagar R$ 180 mil por cegar jovem | Brazil News Informa


Tinta no olho: tatuador é condenado a pagar R$ 180 mil por cegar jovem | Brazil News Informa
Um tatuador da Polônia terá de indenizar em R$ 180 mil uma jovem de 20 anos após tatuar seus olhos e deixá-la cega. O profissional ainda deve cumprir 30 horas de serviço comunitário, em função do dano que causou à Aleksandra Sadowska, de acordo com decisão judicial.

Sadowska cobriu os globos oculares com tinta preta em 2017 e, à época, revelou que sempre foi seu sonho pintar os olhos. “Sempre quis olhos tatuados, achei que combinavam comigo”, disse à mídia local.

Segundo o processo, o tatuador teria penetrado os globos oculares de Aleksandra tão profundamente que os perfurou. Além disso, o profissional teria usado uma tinta não certificada para uso nos olhos. A prática causou glaucoma na jovem que, logo em seguida, desenvolveu uma catarata avançada. Mesmo após realizar três cirurgias, a polonesa não conseguiu recuperar e nem melhorar a visão.

Tatuagem proibida

De acordo com a médica oftalmologista Núbia Vanessa Lima, do CBV-Hospital de Olhos, tatuar os olhos é uma prática extremamente perigosa e proibida no Brasil, América do Norte e na Europa. “[Essa proibição] existe por diversos motivos, o principal deles é o risco de cegueira”, revela.

“Mesmo se não houver perfuração ao tatua os olhos, como aconteceu com Aleksandra, esse tipo de tatuagem pode desenvolver uma inflamação crônica que pode levar ao glaucoma, a primeira causa irreversível de cegueira”, revela.

“Uma tatuagem nos olhos, portanto, pode afetar a sua função visual e levar à cegueira. Cegueira essa que é irreversível, ou seja, não adianta fazer a cirurgia da catarata e nem um outro procedimento cirúrgico”, explica.

Além disso, conforme frisa a profissional, esse tipo de tatuagem ainda pode causar catarata e outras inflamações, como uveíte, inflamação crônica do tecido uveal dos olhos. A pessoa tatuada também pode desenvolver um descolamento de retina.

Fonte: Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários