Publicidade

Novidade para trabalhadores com carteira assinada pode atingir MILHÕES de brasileiros | Brazil News Informa

Novidade para trabalhadores com carteira assinada pode atingir MILHÕES de brasileiros | Brazil News Informa

Quem trabalha com carteira assinada terá mais uma opção para utilizar o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A novidade pode beneficiar quase 11 milhões de trabalhadores formais, segundo dados da ferramenta de monitoramento Datazap.

Trata-se da possibilidade de sacar o saldo que ainda não foi depositado no fundo para aumentar a capacidade de pagamento de cidadãos em financiamentos habitacionais. Ou seja: o objetivo é facilitar o acesso dos brasileiros à casa própria.

FGTS futuro é novidade

Chamado de FGTS futuro ou FGTS consignado, ele será disponibilizado para uma parcela menor da população neste primeiro momento. Os cidadãos do grupo poderão contar com os recursos futuros do fundo, ou seja, as quantias que ainda não foram creditadas pelos empregadores.

A princípio, serão contempladas as famílias com renda de até R$ 2.400 mensais, aquelas que compõem o Grupo 1 do serviço Casa Verde Amarela. O plano do governo anterior, que criou a proposta, é ampliar a opção para mais faixas de renda e outros serviços habitacionais em breve.

Vale mencionar ainda que o Casa Verde Amarela deve voltar em breve a se chamar Minha Casa, Minha Vida. O nome escolhido durante o segundo mandato do presidente Lula foi alterado durante o governo Bolsonaro.

Vantagens e desvantagens

No campo das vantagens está o aumento na capacidade de pagamento em financiamentos habitacionais. Um brasileiro com renda de R$ 2.000 que quer comprar uma casa hoje pode contratar parcelas de R$ 450. Usando o FGTS futuro, o valor das mensalidades subiria para R$ 600.

Por outro lado, o trabalhador que opta por usar recursos ainda não depositados deve estar atento a eventuais desvantagens. Em caso de demissão, ele não contará mais com os depósitos do patrão e precisará negociar a dívida para conseguir pagar.

Segundo a Caixa Econômica Federal, a modalidade será regulamentada ainda em janeiro, e em até 90 dias as operações devem começar.


Postar um comentário

0 Comentários