Publicidade

José de Abreu relata abuso e se define: "máquina na cama" | Brazil News Informa

José de Abreu relata abuso e se define: "máquina na cama" | Brazil News Informa

O ator José de Abreu, de 76 anos, é um dos grandes nomes da teledramaturgia brasileira, com vários personagens marcantes em muitos anos de carreira. Entretanto, fora das telinhas o artista também é conhecido por suas posições fortes, sem medo do cancelamento.

Politicamente, Abreu não tem receio em expor sua ideologia ligada à esquerda, tampouco a simpatia por Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Já no aspecto íntimo e pessoal, o ator detalhou suas aventuras em entrevistas e também em uma autobiografia bastante reveladora.

Atualmente namorando a maquiadora Carol Junger, 52 anos mais jovem, Abreu é pai de cinco filhos e foi casado três vezes. Não por acaso, ele descreve a si mesmo como uma "máquina de relações intimas" e já deixou mais que cristalina sua necessidade diária de ter relações, sobretudo ao acordar.

Entre outros, o artista já falou abertamente sobre o fato de ser bissexual e detalhou relações intimas com atrizes que fizeram sucesso na TV Globo, a exemplo de Vera Fischer e Maria Zilda Bethlem. Em um ato de coragem, José também desabafou sobre ter sido abusado por um homem mais velho quando era adolescente.

"Máquina de relações intimas"

Os livro que contam as vivências de José de Abreu foram divididos em dois volumes: "Abreugrafia - Livro 1 - Antes da Fama" e "Abreugrafia - Livro 2 - Depois da Fama".

Na primeira parte, o artista destacou que soube aproveitar a juventude e a beleza a ele concedida pela genética. Em suas próprias palavras, ele diz ter sido motivo de aposta entre as meninas "para ver quem me comeria primeiro".

"Eu, nos últimos meses de Porto Alegre e primeiros de São Paulo, virei uma máquina. Soube que na Escola de Teatro da UFRGS, o ex-CAD, chegou a fazer uma aposta entre as alunas para ver quem me comeria primeiro. Não sei quem ganhou, mas passei o rodo. Ou fui passado", destacou.

Maria Zilda Bethlem

José de Abreu manteve uma vida amorosa agitada e aprontou muito ao lado da atriz Maria Zilda Bethlem nos bastidores do filme "A Intrusa" (1979).

Segundo o ator, eles aproveitavam o horário de almoço para saciar suas vontades. Ele a colocava na garupa de um cavalo e iam para debaixo de alguma árvore.

"fazíamos no meio do nada na hora do almoço, comer para quê? Pegava o cavalo do personagem, a colocava na garupa e íamos para baixo de uma árvore, longe dos olhares da equipe. Estendia meu poncho azul com forro vermelho na relva e nos amávamos como se a vida acabasse ali", contou.

O envolvimento entre Maria Zilda e Abreu também foi publicizado pela atriz em seu livro "A Caçadora de Amor", lançado em 2019.

Na obra, Bethlem pontuou que não sabia na época que ele era casado com a atriz Nara Keiserman, por isso ficaram. Ela estava solteira.

"Eu não sabia que ele era casado. Fomos apresentados e é aquela coisa de cinema, de locação. Você está lá um mês com a pessoa, acaba tendo um namorico", assumiu.

Mau hálito. Em 2020, durante live com o ator Murilo Rosa, Maria Zilda voltou a falar sobre suas parcerias com Abreu, e lembrou a época em que contracenaram juntos na novela "Bebê a Bordo" (1988).

Segundo contou, Abreu bebia muito, inclusive durante as filmagens, e também fumava, o que o deixava com mau hálito. Logo, acrescentou, as cenas de beijo eram complicadas de gravar.

"Então, cara, quando era cena de beijo? Porra, a pessoa que fuma pra caramba. Sabe?", exclamou. "A pergunta foi: você já beijou alguém com bafo? Já! Era uma coisa insuportável. Evidentemente, ele bebia. Era [cena] externa. Ele suado. Já tinha o cheiro do suor, mais o do cigarro, mais o da bebida. Era uma coisa insuportável. O Zé era um bicho", disparou.

Vera Fischer

Outra famosa cujo romance foi exposto por José de Abreu foi Vera Fischer. O artista relatou que a atriz demonstrou interesse por ele durante um jantar. Na ocasião, eles estavam em um restaurante e notou que Fischer "estava a fim" dele.

"'Oba', pensei. Mas não me atrevi a atacar", disse. "Quando fui ao banheiro, a Liège (Monteiro, promoter e empresária) me disse mais ou menos assim: 'Ela cismou que quer ficar com você hoje'. 'Ok, pode me usar à vontade'", continuou.

"Quando voltei à mesa olhei bem no fundo dos seus olhos, segurei seu rosto com as duas mãos e mandei: 'Quero você'. Eu sabia que Vera se sentiria muito melhor sendo escolhida do que escolhendo. Começamos a nos pegar ali mesmo, beijos, abraços, toques, loucura, e os garçons ali. Fomos para a casa dela, se não me engano a casa onde morara com o Perry (Salles, ex-marido da atriz). E tive uma das mais lindas noites de amor da minha vida", completou.

Bissexual

Em 2013, em uma postagem no Twitter, José de Abreu revelou que é bissexual.

"Eu sou bissexual e daí? Posso escolher quem eu beijo? Quando quero beijar uma pessoa não peço atestado de preferência intima, só depende dela querer. Não posso obrigá-la a me beijar. Quero saber se posso ter opção! Tenho que beijar um bêbado que invade minha individualidade só porque ele é gay?", escreveu.

O famoso ressaltou que se relaciona com "pessoas, não com rótulos". Por isso, não está preocupado em saber a orientação intima de outrem para se envolver amorosa ou intimamente.

"Acho o suprassumo da caretice dividir o mundo entre gays e não gays. Ninguém me ensinou a amar assim. Aprendi a amar na Igreja", completou.

relação intima matinal

No começo do ano, José de Abreu chamou a atenção dos fãs ao afirmar que a relação intima matinal é algo "sagrado". Um seguidor disse considerar "banho pela manhã sagrado", e o famoso rebateu:

"Pra mim é ter relações. Sagrado, antes de qualquer coisa. O banho é consequência", declarou.

Abuso

Em um momento de coragem, José de Abreu falou sobre o dia em que foi abusado por um prefeito. Na época ele era adolescente e o abuso aconteceu no Seminário Menor Maria Imaculada, em Ribeirão Preto (SP).

"Foi durante uma sessão do filme 'Marcelino Pão e Vinho' (1955), que o prefeito se sentou ao meu lado, esperou a sala ficar escura, abriu minha braguilha, enfiou a mão dentro das minhas calças e começou a me masturbar no momento em que Jesus aparecia na tela", relembrou. "A cena foi insuportavelmente longa... E depois? Como comungar com um pecado desses na cabeça?", concluiu.

Fonte: UOL

Postar um comentário

0 Comentários