Publicidade

Fim do REAL? Saiba qual a nova MOEDA que poderá entrar em vigor no Brasil | Brazil News Informa

Fim do REAL? Saiba qual a nova MOEDA que poderá entrar em vigor no Brasil | Brazil News Informa

Será que teremos uma nova moeda no Brasil? Qual o futuro do Real? Afinal, é o que os brasileiros estão se perguntando nesta semana.

Uma reunião inesperada aconteceu nesta terça-feira (3), entre o Ministro da Fazenda, Fernando Haddad e Daniel Scioli, ex-vice presidente da Argentina e atual embaixador da Argentina no Brasil. Ambos discutiram sobre a criação de uma moeda comum para os países do Mercosul. Saberemos do que se trata nos próximos tópicos.

Após discutirem sobre a proposta citada acima, o representante da Argentina também propôs na mesma reunião a integração energética e financeira entre a Argentina e o Brasil. Uma vez que o Brasil é o principal parceiro comercial do país.

O objetivo dessa proposta é despertar o comércio de todos os países que pertencem ao bloco comercial. Entretanto, cada país continuará com suas próprias moedas.

Embora Haddad não tenha repassado maiores informações sobre a reunião, Scioli  afirma que o ministro da Fazenda foi positivo quanto à parceria em relação à economia brasileira. Como também demonstrou interesse com as metas relacionadas à criação da nova moeda.

Qual seria a solução para a crise na Argentina?

A crise econômica na Argentina se deu por causa do juro básico, atingindo o nível de 70% ao ano. Além disso, a inflação no país já ultrapassou 80% bem como está dolarizada, ou seja, a economia funciona conforme a atualização do dólar. 

Já no Brasil, o dólar afeta o preço dos combustíveis devido ao PPI (Preço de Paridade Internacional) da Petrobras. Por isso que a criação de uma moeda entre esses dois países seria uma “possível solução” para diminuir a dependência do dólar. Porém, o ativo pode gerar resistência no mercado devido a crise econômica da Argentina nos últimos dias.

Segundo o Instituto Nacional de Estadística y Censos (Indec), a versão argentina do IBGE divulgou a inflação do país no mês de agosto de 2022. A alta da inflação alcançou 78,5% em 12 meses. 

A Argentina enfrenta a terceira maior inflação mundial estando atrás apenas da Turquia e Venezuela. Para completar o BCRA, o banco central argentino aumentou os juros em 75% ao ano. Por causa disso, a alta nos preços tem diminuído ainda mais o salário e a pouca poupança que os argentinos possuem.

Mas esse não é o único problema da Argentina que enfrenta ainda mais duas instabilidades: a econômica e a política. No poder desde dezembro de 2019, o presidente Alberto Fernández deu posse, em julho deste ano, ao terceiro ministro da Economia.

O presidente Alberto Fernández empossou o terceiro Ministro da Economia, Desenvolvimento Produtivo e Agricultura Sergio Massa. Como resultado, o país que era referência de igualdade socioeconômica na América do Sul veio a baixo. Uma vez que atualmente 40% das pessoas se encontram abaixo do nível de pobreza. 

Infelizmente esse percentual pode aumentar devido à inflação que avança cada vez mais diminuindo o poder de compra do consumidor. Sem contar que a moeda está desvalorizada e o país enfrenta dívidas e escassez de reservas internacionais.

O cenário político da Argentina ocorre num momento muito difícil para Alberto Fernandes, atual presidente, e o ministro Sérgio Massa. Diante disso, a criação da nova moeda Mercosul seria a solução? O que nos resta é aguardar a decisão do presidente Lula quanto a essa questão.

Novo salário mínimo em 2023

Nesta sexta-feira (06/01), Rui Costa, ministro da Casa Civil, informou que o ministro do trabalho, Luiz Marinho, deverá convocar uma entrevista para explicar a situação do salário mínimo neste ano. Isso porque, conforme o decreto do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o valor fixado foi de R$ 1.302. Entretanto, a equipe de Lula (PT), atual presidente, prometeu um reajuste em R$ 1.320, com a aprovação da PEC da Transição.

Embora a medida tenha sido aprovada, com o valor proposto previsto pelo Orçamento, o novo governo está encontrando dificuldades para colocar o plano em prática. Portanto, a informação que se segue é que o valor proposto por Bolsonaro é o que está valendo. Atualmente, a atualização para o valor maior segue em discussão, mas a decisão final, segundo o Ministério da Fazenda, cabe ao presidente.

Quais são os benefícios confirmados para 2023?

Com o início do ano de 2023, uma parte da população pode ter interesse em saber quais são os benefícios que já possuem confirmação para este ano.

Um dos principais benefícios aguardados é a continuidade das parcelas de R$ 600 do Auxílio Brasil, que está previsto para voltar a se chamar Bolsa Família, com possíveis modificações.

Além disso, a proposta do atual presidente Lula (PT) também envolvia o pagamento de um valor adicional de R$ 150 para cada criança de até 6 anos que as famílias brasileiras tivessem em sua composição familiar.

Outro benefício confirmado é o do abono salarial PIS/Pasep de 2023, que será feito com o ano-base de 2021. Assim, os pagamentos começam em fevereiro e vão até dezembro.

O pagamento das aposentadorias, pensões e auxílios também estão previstos para continuar após um momento em que o INSS havia informado que esses benefícios poderiam passar por uma interrupção.

Existe um salário mínimo ideal no Brasil?

Muitos brasileiros já sabem que o salário mínimo pago anualmente, apesar dos reajustes acima da inflação, nem sempre são suficientes para que se arque com despesas relativas ao transporte, saúde, alimentação, vestuário, lazer, higiene, dentre outros.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), levando em conta o preço da cesta básica, o valor ideal para que uma família com duas crianças e quatro adultos viva confortavelmente e sem despesas é equivalente a 5,2% a mais do que o piso salarial de 2022, avaliado em R$ 1.212. Ou seja, o valor ideal para custear tudo isso e ainda sobrar para emergências seria de R$ 6.298,91.

Países onde o real vale mais

Na hora de viajar e conhecer outro país, é extremamente importante averiguar qual a moeda vigente naquele lugar. Isso porque, o real pode acabar sendo desvalorizado em alguns países, fazendo com que os brasileiros gastem muito dinheiro para manter-se na localidade.

Contudo, de antemão, existem outros países em que o real é mais valorizado. Logo, pode ser uma ótima opção para explorar e conhecer novos horizontes.

Assim, os países em que o real vale mais, são:

  • Argentina;
  • Paraguai;
  • Chile;
  • Indonésia;
  • Marrocos;
  • Egito;
  • Turquia.
Neste sentido, a moeda vigente em cada um desses países são, respctivamente:
  • Peso argentino
  • Guaranis;
  • Peso chileno;
  • Rúpia Indonésia;
  • Dirham;
  • Libras egípcias;
  • Lira.
Por fim, é de suma importância sempre conferir a cotação atual, evitando possíveis surpresas.

Fonte: Pronatec

Postar um comentário

0 Comentários