Publicidade

Vídeo mostra momento em que mulher levanta e se aproxima da jovem que teve rosto cortado | Brazil News Informa

Vídeo mostra momento em que mulher levanta e se aproxima da jovem que teve rosto cortado | Brazil News Informa

Imagens de câmeras de segurança do coletivo onde uma jovem teve o rosto cortado na Bahia mostram o momento em que uma passageira se levanta e se aproxima da vítima, que depois sai pedindo por socorro.

O caso ocorreu na madrugada do dia 29 de novembro, quando a estudante de enfermagem Stefani Firmo, de 23 anos, voltava para casa em um coletivo. Ela dormiu na viagem e foi agredida por alguém que a cortou com uma faca no rosto. A vítima teve um corte profundo e foi preciso 18 pontos no rosto.

Após a ação, a polícia chegou a apreender uma faca que estava com uma passageira sentada a frente da vítima, mas o material foi mandado para a perícia e ela não foi detida. O coletivo tinha câmeras de segurança que mostram uma pessoa se aproximando de Stefani, que depois levanta e pede por socorro. 

As imagens foram entregues à polícia e vão ser analisadas. Não é possível ver o momento em que a pessoa corta o rosto da jovem. A Polícia Civil não confirma que a mulher que estava com uma arma branca é a vista no vídeo.

Caso seja comprovada a autoria, a mulher poderá ser indiciada por lesão corporal.

Publicação nas redes sociais - O vídeo foi publicado por Stefani Firmo nas redes sociais, no final da noite de segunda-feira (5). A jovem contou que as imagens foram disponibilizadas pela empresa de ônibus após uma mobilização feita na internet.

"A gravação não deixa dúvidas de que não houve qualquer discussão ou transtorno entre eu e ela. Pelo contrário, ela simplesmente se levantou e utilizou a faca que carregava para me cortar enquanto eu dormia", contou a estudante.

No texto, a jovem ainda diz que está assustada e que aguarda o encerramento das investigações. "O ataque foi gratuito, brutal e cruel. Ainda estou muito assustada com tudo e tentando absorver o que ocorreu. Agora estamos aguardando o encerramento das investigações para que a justiça seja feita e essa criminosa seja punida".

Dezoito pontos e investigações - Em entrevista ao g1 no domingo (4), a jovem relatou que levou 18 pontos no local do corte.

"Sempre que lembro fico abalada, porque eu poderia estar morta. Penso que foi um livramento de Deus, que pensou nos detalhes para que eu dormisse com o edredom até o pescoço e com óculos no rosto", detalhou.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que a Delegacia de Proteção ao Turista (Deltur) de Conde instaurou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) para apurar o caso, que foi caracterizado como "lesão leve" pelo médico que atendeu a vítima.

A reportagem da TV Bahia entrou em contato com a empresa de ônibus para pedir um posicionamento sobre o ocorrido, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

'Acordei sentindo um ardor' - Stefani é natural de São Paulo, mas mora em Itabuna, no sul da Bahia, desde 2008. Ela havia viajado para Recife com uma amiga para fazer uma prova de residência.

"Eu saí de Recife no dia 28 e chegaria em Salvador na manhã do dia 29, onde pegaria um outro ônibus para Itabuna. A viagem estava tranquila [até então]", disse.

A jovem se preparou para dormir, se cobriu com o edredom até o pescoço e optou por seguir de óculos. Durante a madrugada, ela acordou com o rosto ardendo.

"Acordei sentido um ardor, passei a mão no rosto e percebi que estava sangrando".

Nesse momento, Stefani foi até a cadeira da amiga pedir ajuda. Outros passageiros também se mobilizaram para chamar a atenção do motorista, para levar a jovem a um hospital e, em seguida, para a delegacia.

"Eu pensei que algum objeto tinha caído [em cima de mim], principalmente pelo peso [que senti no rosto], fiquei tentando entender que peso foi esse. Procurei achar algum objeto que tivesse caído, mas não achei nada", relatou.

Apesar de ter recebido apoio da maioria dos passageiros, a jovem relatou que uma mulher chamou sua atenção pela frieza que apresentava ao ver a situação.

"Todos os passageiros tentaram ajudar de alguma forma, exceto a suspeita. Ela olhou para mim como se nada tivesse acontecido, não esboçou nenhuma reação".

Segundo a vítima, a mulher estava com uma faca de churrasco, uma tesoura e um alicate. "A faca [que foi encontrada com ela] estava limpa", comentou.

"A pessoa [que me feriu] foi ágil, [porque fez o corte] e [só] sangrou depois", complementou.

Ainda segundo Stefani, a mulher seguiu viagem no mesmo ônibus de Conde, onde a situação ocorreu, até Salvador, destino final.

"Ela desceu com a cara cínica do ônibus. Todo mundo falando dela [e ela] parecia uma psicopata. Ela negou [que teria me cortado e ainda afirmou] que não tinha nada a ver com os problemas dos outros", detalhou.

Fonte: G1



Postar um comentário

0 Comentários