Publicidade

Jovem vive últimos dias após descobrir câncer por verruga | Brazil News Informa

Jovem vive últimos dias após descobrir câncer por verruga | Brazil News Informa

Considerada a segunda principal causa de mortes em todo o mundo, o câncer é uma doença degenerativa que acomete milhões de pessoas. Com um tratamento difícil e delicado, a patologia ainda é um mistério para a medicina e a ciência.

Uma australiana, identificada como Natalie Fornasier, de 28 anos, foi diagnosticada com câncer após investigar uma verruga em um dos dedos do pé. O caroço havia mudado de formato e ela decidiu ouvir uma opinião médica.

O caso ocorreu há 8 anos e, atualmente, a jovem passa por cuidados paliativos, um estágio onde o tratamento já não impacta mais na contenção do quadro de saúde.

O melanoma é um tipo de câncer que se desenvolve nos melanócitos, células responsáveis pela pigmentação da pele. Esse tipo de lesão é potencialmente grave, pois há risco de que ele produza metástases em outros órgãos.

Entre os sinais que podem indicar de um melanoma estão a mudança de cor, tamanho ou formato de pintas, manchas e sinais. Os dermatologistas recomendam usar a regra ABCDE para monitorar possíveis sintomas de um melanoma. A sigla significa assimetria, borda, coloração, diâmetro e elevação.

DESABAFO

Natalie descobriu o câncer de pele quando tinha 20 anos e, desde então, está em tratamento. No entanto, nas últimas semanas, o estado de saúde dela tem piorado e os médicos já avisaram a jovem de que não há mais tratamento possível para salvá-la.

“Não é fácil admitir que estou morrendo aos 28 anos. Todos os dias, nos últimos quatro meses, chorei e gritei”, lamentou Natalie, em suas redes sociais.

Natalie vem compartilhando a luta dela contra o câncer em um perfil no Instagram. Em seu post mais recente, ela agradeceu aos seguidores pelas mensagens de amor, apoio e gentileza e suas. Os amigos já criaram uma campanha de financiamento coletivo para cobrir as despesas do funeral e para ajudar a família a enfrentar o momento de dificuldade.

Fonte: Metrópoles 

Postar um comentário

0 Comentários