Publicidade

IPVA para motos será ZERADO a partir de 2023; saiba mais | Brazil News Informa

IPVA para motos será ZERADO a partir de 2023; saiba mais | Brazil News Informa

Com a decisão do Senado, aprovada nesta segunda-feira (11), de anular o imposto sobre a propriedade de veículos Automotores (IPVA) para motocicletas de até 170 cilindradas, a isenção do imposto passa a valer a partir de 1º de janeiro de 2023, conforme publicado no diário Oficial da associação 11º. Detalhamos isso na matéria abaixo.

Mas antes da festa Os proprietários de motocicletas isentos devem observar que a decisão de rebaixar ou redefinir o IPVA cabe ao governo do estado. O projeto do senador Chico Rodriguez (União Brasil – RR) previa motocicletas com até 150 cilindradas, mas uma emenda do relator Mecias de Jesus (Republicanos – RR) mudou o limite de cilindradas.

O Brasil em duas rodas

Com isso, a moto mais vendida do país a Honda CG 160, e outros modelos com grande presença no mercado como a Honda NXR 160 Bros e a Yamaha Nmax 160, puderam aproveitar a resolução. As motocicletas têm um papel cada vez mais importante na mobilidade urbana do país No Pau-Brasil, aproximadamente 33 milhões de pessoas possuem atualmente a certificação de motocicleta categoria A. São milhões de brasileiros que andam sobre duas rodas por comodidade, hobby ou profissão.

Segundo dados do departamento Nacional de Tránsito (Denatrans), analisados ​​pela Associação Brasileira da Indústria de Motocicletas, ciclomotores, motonetas, bicicletas e similares (Abraciclo), o número de pessoas habilitadas a dirigir esses veículos aumentou 17,5 % no ano passado. passado. cinco anos.

Enquanto muitos atribuem a ascensão das motocicletas nas ruas à explosão dos aplicativos de entrega, ao crescimento do delivery e à crise econômica provocada pela pandemia, os dados revelam uma realidade todavia diferente. Na verdade, esses novos motociclistas buscam as motocicletas e patinetes como meios de transporte rápidos, econômicos e seguros, segundo pesquisa do fabricante publicada na Abracicclo.

Segundo pesquisa com fabricantes, para 91 % dos consumidores, o principal motivo da compra de uma motocicleta em 2020 foi viajar. Lazer (66 %) e trabalho (15 %) vêm em segundo lugar. Os dados mostram que, devido ao COVID-19, muitas pessoas começaram a usar motocicletas para evitar turbas no transporte público.

Moto no período pós-pandemia

Antes de mais nada, vejamos esse fenômeno. O aumento do número de brasileiros com carteira de moto e o aumento da participação feminina ajudaram a impulsionar as vendas de scooters no Brasil. Em julho, esse tipo de motocicleta foi vendida em quantidade recorde: 10.195 unidades. De janeiro a julho de 2021, foram cadastrados 61.677 scooters, segundo levantamento da Abraciclo. O volume aumentou 59,2 % em relação ao mesmo período do ano passado.

A saber: as Scooters são um tipo de motocicleta que possui uma transmissão automática e o motorista se senta nela. Fácil de usar devido à ausência de embreagens e engrenagens. Eles também têm um espaço sob o assento que funciona como um “baú” onde o motociclista pode encobrir suas coisas enquanto dirige ou pode encobrir seu capacete e jaqueta quando estacionado.

Com efeito, eles já figuram 9,8 % dos veículos de duas rodas vendidos no Brasil este ano. As meninas representam cerca de 30 % dos usuários de motos.

Novo modelo de CNH entra em vigor

Ademais, um novo modelo da Carteira Nacional de Habilitação já está sendo impressa para novos condutores, bem como aqueles que renovarem o documento. Trata-se de uma padronização de design e de informações, para que haja uma maior compatibilidade com os documentos de fora do país.

Apesar da novidade, não é necessário que todos os motoristas troquem o documento nesse momento, pois o modelo antigo ainda terá validade, desde que não esteja vencido. Dessa forma, a troca pela nova carteira ocorrerá de forma gradual, respeitando o período de renovação individual de cada cidadão.

Multa mais cara do CTB

Como é de conhecimento geral, cometer uma infração no trânsito implica o recebimento de uma multa. Normalmente, o valor da multa varia de acordo com a gravidade da infração cometida. Contudo, existe uma multa que deixa os condutores susrpresos com o valor.

De modo geral, a multa mais cara do CTB pode passar de R$ 17 mil. O motivo? Organizar algum ato que bloqueie a passagem em determinada via, impedindo o direito de ir e vir.

Logo, de acordo com as informações propostas pelo Artigo 253 – A, § 1º, interromper a circulação (sem autorização) gera uma multa de R$ 17.608,20. Além disso, a carteira do motorista fica suspensa por 12 meses.

Vale dizer, portanto, que ainda que determinado condutor não tenha organizado o bloqueio, mas ainda sim faz parte dele, terá uma penalidade pode passar de R$ 6 mil.

Fonte: Pronatec



Postar um comentário

0 Comentários