Publicidade

Pastor é assassinado pela própria filha no Pará | Brazil News Informa

Pastor é assassinado pela própria filha no Pará | Brazil News Informa

No dia 6 de junho de 2018, uma quarta-feira, Reginaldo Vieira da Silva, conhecido como Pastor Reginaldo tinha passado o dia no município de Eldorado dos Carajás no sudeste paraense, distante cerca de 100 quilômetros de Marabá.

Ele era empresário do ramo de envazadora de água mineral e sua empresa ficava localizada na BR-230 (Transamzônica), próximo a Vila São José, sentido Itupiranga. 

Ele chegou por volta de 22h30 a Marabá naquele dia e foi direto para a empresa. Chegando lá ao abrir o portão, ele foi abordado por um homem, que disparou vários tiros. Ele chegou a ser socorrido, mas acabou morrendo no Hospital Municipal de Marabá. 

Agora, quatro anos após esse crime, a Polícia finalmente desvendou o caso e apresentou a própria filha do pastor, Raquel Vieira da Silva, como a mentora da morte do próprio pai. Ela foi presa nesta sexta-feira (25) na cidade de Jericoacoara, no Ceará, onde havia constituído nova família e trabalhava como esteticista.
 
O namorado de Raquel, à época, Ailton Pereira Monteiro, também foi preso na fazenda em que trabalhava no pequeno município de Hidrolândia, interior do Goiás, na quinta-feira (24). Ele é o acusado de ser o atirador, o homem que matou o próprio ex-sogro.

A investigação foi conduzida pela equipe do delegado Toni Rinaldo Rodrigues de Vargas, titular do Departamento de Homicídios da Polícia Civil em Marabá. O ponto de partida foi justamente o próprio atirador, Ailton, pois pouco antes de falecer, o pastor Reginaldo havia mencionado que quem havia atirado nele foi o próprio genro.

INVESTIGAÇÕES

Após intensa investigação a Polícia desvendou a motivação para tal macabro assassinato. Ailton Pereira Monteiro, então namorado de Raquel Vieira da Silva, tinha uma dívida no valor de R$ 14 mil com o Pastor. O sogro começou então a cobrar a dívida do rapaz, dizendo que precisava do dinheiro para tirar um porte de arma.

Sabendo da situação, a filha do pastor deu a ideia para Ailton resolver o problema: matar o Pastor e ainda ficar com o dinheiro que ele iria receber dos negócios da empresa de fornecimento de água. 

Tudo foi muito bem elaborado e articulado, inclusive com as informações de que o casal havia passado o dia inteiro juntos, para não dar a entender de que em algum momento, Ailton havia se distanciado da namorada Raquel. Um álibi quase perfeito.

PERTO, MAS DISTANTE

Entretanto, a polícia descobriu diversas ligações telefônicas, tanto da filha Raquel, que constantemente ligava para o pai para saber o paradeiro dele e quando iria retornar, quanto para o namorado, diversas ligações para o companheiro, levantando a suspeita da polícia, "se estavam juntos, pra que tantas ligações?".

Ailton Pereira Monteiro, foi preso na fazenda em que trabalhava no município de Hidrolândia, interior do Goiás
 Ailton Pereira Monteiro, foi preso na fazenda em que trabalhava no município de Hidrolândia, interior do Goiás | Reprodução
 
Eles foram presos, ouvidos, e recambiados para Marabá, onde sentarão no banco dos réus para responder pelo assassinato do pastor Reginaldo.

A polícia, agora, procura descobrir quem seriam Dodô e Rói Coco, igualmente suspeitos de participar do homicídio. 

Qualquer nova informação que possa ajudar na prisão dos demais acusados podem ser feitos de forma anônima para o fone da Polícia 190, ou para o Disque Denúncia Sudeste do Pará, pelo fone ou WhatsApp, (94) 3312-3350.

Fonte: DOL



Postar um comentário

0 Comentários