Publicidade

Óculos que fazem goleiros da Suíça verem em câmera lenta também podem ajudar crianças e idosos | Brazil News Informa

Óculos que fazem goleiros da Suíça verem em câmera lenta também podem ajudar crianças e idosos | Brazil News Informa

A Suíça, adversária do Brasil na fase de grupos da Copa do Mundo, tem desde 2021 um método inusitado no treinamento de goleiros. Para melhorar o reflexo, os atletas usam óculos que criam um efeito de câmera lenta e os ajudam a melhorar a visão da trajetória da bola.

Apesar de terem sido desenvolvidos com fins esportivos, os óculos têm mais finalidades. A Visionup, empresa japonesa responsável pelos acessórios, afirma que eles "são úteis não apenas para atletas [profissionais], mas também para jovens atletas ou idosos".

Segundo a fabricante, os óculos são indicados para quem quer "recuperar ou manter habilidades de visão que diminuíram com o envelhecimento".

Isso porque, de acordo com a empresa, eles estimulam o cérebro e melhoram a visão, a percepção de profundidade e a coordenação entre os olhos e as mãos.

O oftalmologista Leôncio Queiroz Neto alerta que os óculos podem causar desconforto em algumas pessoas e não são indicados para quem tem catarata ou astigmatismo, por exemplo. Ele afirma que cada caso deve ser analisado por um oftalmologista, que poderá dizer se o uso é indicado ou não.

Por outro lado, o médico diz que o método tem sido usado em caráter experimental no tratamento de crianças com ambliopia (ou olho preguiçoso), em que os olhos não se desenvolvem igualmente. A ideia é usar os óculos para forçar o desenvolvimento do olho de visão mais fraca.

"O princípio por trás desta tecnologia utilizada por várias empresas é semelhante ao da musculação, ou seja, forçar para fortalecer", explica o especialista. "O resultado da intermitência das imagens pelas lentes constrói novas conexões neurais entre o olho e cérebro através do bloqueio da visão".

Como o efeito de câmera lenta é criado?

Os óculos têm uma bateria e, no lugar das lentes, dois painéis LCD que podem ficar transparentes ou escuros. Quando são ativados, eles piscam em intervalos de frações de segundos, tampando e liberando a visão de forma intermitente.

É possível definir o nível de escuridão da lente de acordo com o objetivo do exercício. Para ver outros objetos em câmera lenta, é preciso deixar as lentes menos escuras.

Os dispositivos também permitem ajustar a frequência com que os painéis LCD piscam, entre 1 e 150 hertz (Hz). Um hertz é a unidade de medida de frequência de ondas e equivale a um ciclo por segundo – quanto mais hertz, maior a taxa de atualização do que aparece em uma tela.

Os exercícios básicos usam frequências altas, já que as lentes piscam rapidamente e permitem ver quase toda a trajetória de um objeto em movimento. Em treinos avançados, é preciso reduzir a frequência, o que faz as lentes ficarem escuras por mais tempo.

As mudanças causadas pelos óculos obrigam quem os está usando a se concentrar mais e a tomar decisões mais rápidas. O processo estimula cérebro e músculos dos olhos, segundo a fabricante.

Óculos 'falantes': como um dispositivo de inteligência artificial ajuda estudantes cegos no Brasil
'Carro voador' que será usado nos Jogos Olímpicos de Paris 2024 faz primeiro voo teste

O método funciona?

As pessoas levam uma fração de segundo a mais para reconhecer imagens em movimento, explica o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto ao g1. Segundo ele, os óculos estimulam a visão periférica, que dá mais agilidade e é conhecida no futebol como "visão de jogo".

O especialista diz que a chave do treinamento é induzir o cérebro a fazer associações mais rápidas apesar das informações visuais limitadas.

Segundo ele, o método "força o cérebro a processar as imagens com mais agilidade e a perceber mais detalhes, além de melhorar o equilíbrio, aumentar a rapidez dos movimentos, inclusive dos olhos, e o tempo de reação".

Apesar dos benefícios, a fabricante diz que os óculos devem ser usados em períodos curtos, entre 10 e 15 minutos, em dias alternados. É possível usá-los por mais tempo, mas a empresa diz que, após esse intervalo, os benefícios continuam os mesmos ou podem até diminuir.

Para algumas pessoas, os acessórios podem causar até dor de cabeça leve ou enjoo. Nesse caso, a orientação é que o uso dos óculos seja interrompido e que seja retomado em outro momento em treinos mais curtos.

Fonte: G1



Postar um comentário

0 Comentários