Publicidade

Moradores se revoltam e retiram móveis de pousada colocados em praia de Boipeba | Brazil News Informa

Moradores se revoltam e retiram móveis de pousada colocados em praia de Boipeba | Brazil News Informa

Moradores da Ilha de Boipeba, no sul da Bahia, se revoltaram contra uma pousada de luxo após discussões e retiraram os móveis que o estabelecimento havia colocado na praia de Moreré. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra a ação dos nativos da ilha. (Veja abaixo)

A confusão começou, segundo o radialista local Claudio Cacau, após a proprietária da pousada começar a "implicar" com os moradores. " Ela chegou e já de cara buscou problemas com a comunidade. Primeiro pegou no pé do pessoal porque tinha um bar do lado (da pousada) e que os bêbados estavam incomodando. Agora ela começou a pedir para as embarcações não atracassem na praia em frente à pousada dela", contou.

Após o pedido da empresária, os moradores se reuniram no último sábado (12) com o objetivo de passar a mensagem de que "ela não é dona da praia" e decidiram retirar os móveis da faixa de areia e colocá-los dentro da pousada.

"Tendo o direito público desrespeitado, pescadores, banhistas e moradores de Moreré deram um 'chega pra lá' na invasora. Não há nenhuma autorização de qualquer órgão público que permita uso de praia como espaço privado", declarou Claudio.

O outro lado

A diretora operacional Pousada Coco Bambu Moreré, Adriana Lemos, informou ao CORREIO, por meio de nota, que a manifestação na porta da pousada aconteceu depois que uma família nativa, que possui um estabelecimento ao lado, movimentou outros moradores para a ação. 

Ainda de acordo com Adriana Lemos, a pousada havia registrado uma queixa junto ao Ministério Público contra poluição sonora na região. A Prefeitura de Cairu então distribuiu um ofício aos empresários da Praia do Moreré alertando sobre a Lei do Silêncio. O documento também dava prazo de 48 horas para que barcos e mobiliários fixos na areia da praia fossem removidos.

"Por clara falta de comunicação do Poder Público, a família junto com moradores acreditaram que a iniciativa do ofício recebido, fosse baseado em ação movida por nossa pousada para cumprimento das  leis vigentes no município de Cairu", diz o texto. 

A diretora operacional da pousada informou ainda que considera o protesto dos moradores como ato de vandalismo e, por conta disso, foram tomadas "providências legais no âmbito criminal". O texto pontua ainda que outros empresários da Ilha de Boipeba estão entrando com uma ação judicial coletiva contra o Município de Cairu.

A reportagem do CORREIO procurou a Prefeitura de Cairu, mas não obteve resposta até esta publicação.

Veja nota do estabelecimento na íntegra:

A Pousada Coco Bambu está localizada na Praia do Moreré, ilha de Boipeba, desde 2019.

Desde o início do ano corrente, a Ilha de Boipeba vem sofrendo com poluição sonora através de criações de paredões espontâneos promovido por um estabelecimento comercial de bebidas sem alvará para realizações de eventos, quebrando uma Portaria Municipal que versa sobre a lei do silêncio e amparado também pelo ART.42 da Lei de Contravenções Penais sobre  perturbação do sossego alheio.

Se tornou algo insuportável para moradores e turistas que têm seus descansos comprometidos pela poluição sonora. Após várias queixas junto ao poder municipal para o cumprimento das fiscalizações e sem obter sucesso, partimos então para um queixa junto ao Ministério Público.

Após notifaçao do MP ao estabelecimento promotor da poluição, foi criado um ambiente de acirramento, pois o comercio é pertencente a uma família nativa, que movimentou outros moradores para uma manifestação na porta da nossa pousada.

O estopim ocorreu após a Prefeitura distribuir um ofício aos empresários da Praia do Moreré, alertando sobre a Lei do Silêncio e também dando prazo de 48 horas para que  barcos e mobiliários fixos na areia da praia fossem removidos.

Por clara falta de comunicação do Poder Público, a família junto com moradores acreditaram que a iniciativa do ofício recebido, fosse baseado em ação movida por nossa pousada para cumprimento das  leis vigentes no município de Cairu.

A manifestação frente da nossa pousada acarretou cancelamentos de hóspedes presentes no momento do ocorrido, pois havia insegurança da pousada ser invadida pelos manifestantes. Após publicidade do ocorrido nas redes sociais, vários cancelamentos têm ocorrido devido ao clima de insegurança social que no momento atinge a bela praia do Moreré.

Em reunião com empresários do ramo hoteleiro e gastronômico da ilha, filiados a Associação Comercial e Empresarial de Boipeba - ASCOEB, ficou evidenciado que tal situação de animosidade vem ocorrendo também na vila de Boipeba, uma vez que o Administrador e Secretário de Governo Igor Gomes, não consegue aplicar as fiscalizações e manutenção da ordem pública na ilha, pois acarreta em ônus eleitoral junto à comunidade.

Já tomamos as providências legais no âmbito criminal, pois se tratou de vandalismo em bens privados sem qualquer amparo legal, com abertura de inquérito policial para andamento do caso. Por hora, outros empresários da Ilha de Boipeba, prejudicados pela desordem pública, poluição sonora inaceitável e falta de segurança pública, estão entrando com uma ação judicial coletiva contra o Município de Cairu, para que seja aplicada a medidas cabíveis para o cumprimento e restabelecimento da ordem e do sossego na Ilha de Boipeba.

Fonte: Correio 24h



Postar um comentário

0 Comentários