Jingle de Bolsonaro acerta assustadoramente e pode pegar | Brazil News Informa



Jingle de Bolsonaro acerta assustadoramente e pode pegar | Brazil News Informa




A convenção que confirmou o nome de Jair Bolsonaro como o candidato do PL à reeleição serviu também para tentar impulsionar o jingle de campanha do presidente da República. Pelo menos é o que dizem os dirigentes da legenda, segundo apurou a coluna.

Alias, é preciso admitir que, como peça publicitária, a mensagem musicada acerta assustadoramente e pode pegar entre os eleitores de direita na campanha de 2022.

Diz assim a música no seu trecho principal: “É o capitão do povo, que vai vencer de novo. Ele é de Deus, você pode confiar, defende a família e não vai te enganar”.

Mesmo tirando a parte que “vai vencer de novo”, somente essa estrofe soma ao menos seis mentiras sobre Bolsonaro:

O uso da patente de capitão por um militar que, não se esqueçam, foi “expulso” do Exército;

Que ele é “do povo” não merece nem ser rebatido, tamanha a fake news;

A parte que “ele é de Deus” é uma fraude, já que o presidente demonstra ter, em sua trajetória, o oposto de muitos valores cristãos;

“Você pode confiar” é outra falácia, já que ele descumpriu inúmeras propostas de campanha, como rasgar a bandeira do liberalismo;

“Defende a família” é extremamente relativo já que, nesse caso, o jingle está tratando da “família tradicional brasileira”, e o mandatário está no terceiro casamento;

Por último, o “não vai te enganar” entra também nas mentiras contados pelo político, que vendeu como certo – há quatro anos  – uma nova política, mas durante o mandato se aliou ao centrão como todos os outros;

Ainda assim, falando do marketing político em si, a coluna ouviu três importantes cientistas políticos que, na condição do anonimato, elogiaram o jingle inventado pela dupla sertaneja Mateus e Cristiano. 

Na avaliação de um deles, o “capitão do povo” pode se transformar no “Lula lá” – eternizado na esquerda como “sem medo de ser feliz” – da extrema-direita brasileira. A peça publicitária petista, de tanto sucesso, acompanha – mesmo que em diferentes versões – o ex-presidente de 1989 até hoje, quando Lula vai para a sua sexta disputa presidencial.

Para o segundo cientista político, é um exagero dizer que vai ser um sucesso dessa magnitude, mas ele admite que o “hit” pode pegar. Lembrou ainda que Bolsonaro tinha apenas 17 segundos de propaganda eleitoral em 2018 e ninguém se lembra das peças publicitárias (criaram mais de uma) do então deputado naquele ano, usadas apenas nas redes sociais.

O último especialista concordou que o jingle é bom, mas – nas suas palavras – disse que ele “não tem efeito eleitoral e serve apenas para levantar a militância”.

O vídeo da peça publicitária tem falhas técnicas, mas traz imagens do presidente jovem, fardado, antes de ele ser “enxotado” das Forças Armadas há 34 anos, após importante reportagem de VEJA. Também relembra a facada sofrida por Bolsonaro há quase quatro anos, trazendo imagens do momento do atentado realizado por Adélio Bispo.




Fonte: Veja

Postar um comentário

0 Comentários