Servidor público de RR processa Gusttavo Lima e pede indenização de quase R$ 50 mil por ter número de celular citado em música | Brazil News Informa



Servidor público de RR processa Gusttavo Lima e pede indenização de quase R$ 50 mil por ter número de celular citado em música | Brazil News Informa




“Lembrei que tô bloqueado” é o trecho da música “Bloqueado", hit do sertanejo Gusttavo Lima, e também a mensagem que um servidor público, de 49 anos, recebe quase todos os dias, principalmente nos fins de semana em Boa Vista. 

O número dele, que tem o DDD de Roraima, é citado na música e tem gerado transtornos — o homem também afirma que já recebeu conteúdo pornográfico por mensagem. Ele recorreu à Justiça pedindo que o cantor pague uma indenização de R$ 48,4 mil por danos morais.

A música, no entanto, não cita o DDD de nenhuma região do país. Na canção, Gusttavo Lima diz uma sequência numérica que coincidiu com o contato do servidor de Roraima.

Em "Bloqueado", Gusttavo Lima narra a história de um homem apaixonado que tenta contato com um amor antigo, mas se lembra que foi bloqueado. É no refrão da música que o número de telefone é citado (veja o trecho da canção logo mais abaixo).

O servidor público, que preferiu não se identificar na reportagem, relatou ao g1 que tem o mesmo número citado na música há pouco mais de 10 anos. Por isso, considera injusto, depois de tanto tempo, ter que se desfazer do contato.

A maioria das mensagens são enviadas durante a madrugada e se intensificam de quinta-feira à domingo, afirma o servidor. Ele disse que também recebe ligações de várias pessoas mencionando o trecho da canção.

A ação movida contra o cantor tramita no 1º Juizado Especial Cível, no Tribunal de Justiça de Roraima. A defesa alega que o número de telefone foi inserido indevidamente na música interpretada pelo cantor e cita que a situação "não se trata apenas de um mero aborrecimento."

Uma audiência de conciliação entre as partes foi marcada para dia 12 de julho e deve ocorrer por videoconferência. Uma intimação já foi enviada para Gusttavo Lima no endereço dele em Goiânia (GO), onde o cantor tem residência.

'Reparação pelo dano causado'

Desligar o aparelho durante à noite é uma forma de evitar a importunação, mas o servidor mora longe da mãe e tem medo que ela precise de alguma ajuda nesse horário.

“O grande problema é que não posso desligar o telefone à noite e nem deixar ele longe de mim quando vou dormir. Tenho uma mãe com 92 anos que mora em outra casa e que pode me ligar a noite caso precise de médico."
"Minha intenção com a ação não é buscar fama, mas apenas uma reparação pelo dano causado", afirmou.

Outros casos com o mesmo número

A situação do servidor público de Roraima é semelhante a de uma vendedora que mora em Fátima do Sul, interior de Mato Grosso do Sul, e de um empresário de Ribeirão Preto, em São Paulo. Todos têm o mesmo número da música.

Na música, o número do telefone é citado nas frases antes do refrão. O clipe, lançado em novembro de 2021, já tem mais de 156,7 milhões de visualizações no canal oficial de Gusttavo Lima no YouTube.

Além disso, grande parte das mensagens são enviadas por mulheres e a avalanche de notificações também afeta a relação com sua esposa.

“As outras pessoas só conseguem entender o quão ruim isso é se elas passarem pela mesma coisa”, desabafou.

Nos meses de janeiro e fevereiro o homem recebeu entre 5 e 10 ligações por dia, nos finais de semana o número dobrava. Entre as mensagens de texto e áudios, ele também recebeu figurinhas de cunho pornográfico.

Ação judicial

Diante da situação, o servidor público entrou com uma ação por danos morais contra Gusttavo Lima. Apesar de enfrentar o problema há mais de cinco meses, ele explicou que não queria que as pessoas achassem que estava se aproveitando da situação e por isso só se decidiu pela medida agora.

"Não entrei com uma ação antes porque não quero parecer que estou me aproveitando da situação. Já se passaram várias semanas desde o lançamento da música e as mensagens só crescem", explicou ele.

No pedido, ajuizado no último dia 27, os advogados estipularam um valor de R$ 48.480 mil por danos morais. Mas deixaram livre para o juiz decidir “qualquer outro valor a ser analisado conforme o potencial econômico-social do acusado e a gravidade do dano causado”.






Fonte: G1



Postar um comentário

0 Comentários