Jovem é agredido em frente escola por se confundir e entrar em carro errado | Brazil News Informa



Jovem é agredido em frente escola por se confundir e entrar em carro errado | Brazil News Informa





Um estudante de uma escola pública de Novo Hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi agredido por um homem no início da tarde de quinta-feira (28). Imagens divulgadas pela Polícia Civil mostram o indivíduo saindo do carro, agarrando o adolescente de 17 anos e o jogando contra o veículo. 

O caso, registrado como lesão corporal, será investigado pelo delegado Tarcísio Kaltbach, da 1ª Delegacia de Polícia da cidade.

Ao g1, o suspeito se disse triste com o acontecido e que fora xingado pelo adolescente. O homem, pai de um estudante da instituição, preferiu não fazer outros comentários sobre a ocorrência, dizendo não ter conhecimento do registro feito na polícia.


Conforme boletim de ocorrência e nota do Colégio Estadual Dr. Wolfram Metzler (leia abaixo), o jovem e a namorada teriam chamado um carro de aplicativo e, por engano, ingressado no veículo do suspeito, que seria de um modelo parecido ao indicado para a corrida.


O adolescente relatou ao g1 que, como estava chovendo, correu em direção ao veículo sem perceber que não era o do aplicativo.

“Chegou um carro muito parecido. A gente só olhou e correu, por causa da chuva. Assim que a gente entrou, o motorista começou a gritar com a gente. Não deu tempo nem de a gente fechar a porta. Na pressa, ela ficou um pouquinho aberta. Ele abriu a janela e começou a xingar”, conta.


Homem foi contido por outros estudantes

De acordo com o relato prestado na Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA), o motorista do veículo teria xingado os adolescentes. Os jovens dizem que saíram do carro imediatamente, deixando a porta entreaberta. Contudo, em seguida, o homem também saiu do automóvel em direção ao estudante.

Após as agressões, outros estudantes teriam contido o homem, que foi embora. O estudante e a namorada voltaram para o interior da escola e, depois, foram para a casa da família da adolescente. Durante a tarde, os jovens foram ao colégio novamente e, acompanhados da direção, registraram a ocorrência na delegacia.
 
Segundo o adolescente vítima das agressões, por não haver psicólogo à disposição na DPPA, ele e a namorada não prestaram depoimento. O exame de corpo de delito deve ser realizado na próxima semana. O jovem diz sentir dores nas costas e ter sofrido um arranhão no pescoço. Na ocorrência registrada, o estudante e sua namorada afirmaram o desejo de representar em juízo contra o motorista.

Nota da direção da escola:

Na manhã da quinta-feira, 28/04/22, por volta das 12h15min, alunos do Colégio Wolfram, após a saída da aula, entraram em um carro por engano, acreditando tratar-se do UBER que haviam chamado.
Os alunos ao perceberem o engano saíram rapidamente do carro, deixando a porta aberta, o que gerou uma discussão com o motorista do veículo. Instantes depois o motorista sai do carro furioso, pega um dos alunos pelo pescoço joga várias vezes contra o carro e desfere socos no menino, logo depois é segurado por alguns alunos que estavam próximos. Após o ocorrido a família do aluno agredido registrou boletim de ocorrência na polícia, que foi na escola pegar imagens das câmeras para averiguar o fato.

O Colégio Wolfram preza a não violência, busca fomentar entre os alunos o dialogar, a empatia e a educação para a paz. Nos solidarizamos com as famílias dos alunos agredidos e colaboraremos com a justiça para que a situação seja resolvida.

Não podemos tolerar qualquer tipo de violência, não podemos ver cenas como essas que ocorreram em frete a escola e pensar que isso é normal, não podemos presenciar uma agressão e ficarmos calados. Nossa posição diante desse acontecimento é de repúdio e indignação.

Acreditamos que nosso papel, enquanto Instituição de Ensino, é contribuir para que tenhamos uma sociedade livre de violências, por esse motivo, divulgamos o ocorrido e colocamos essa nota de repúdio em nosso site, para que de alguma forma essa agressão covarde sirva de exemplo para que a justiça seja feita e que isso não volte nunca mais a acontecer.


Fonte: G1

Postar um comentário

0 Comentários