Vídeo: mulher invade jornal ao vivo na TV russa com cartaz antiguerra | Brazil News Informa



Vídeo: mulher invade jornal ao vivo na TV russa com cartaz antiguerra | Brazil News Informa


A jornalista Marina Ovsyannikova, editora da emissora russa Channel One, invadiu o estúdio de um jornal ao vivo na Rússia, nesta segunda-feira (14/3), segurando um cartaz em protesto contra a guerra na Ucrânia.

“Parem a guerra. Não acreditem na propaganda. Eles estão mentindo para você”, dizia o cartaz. Enquanto mostrava o papel, a jovem gritava: “Parem a guerra! Não à guerra!”, em russo.

Ovsyannikova foi presa e levada à delegacia de polícia de Moscou, sob acusação de ter “descreditado as Forças Armadas russas”. A lei foi aprovada no início deste mês, e prevê até 15 anos de prisão para quem descumprí-la.

Logo após o protesto, o sistema OVD-Info, que monitora prisões de opositores ao Kremlin, divulgou um vídeo em que Ovsyannikova pede desculpas pelo seu trabalho no Channel One. A emissora é uma das que apoia o governo russo e costuma se referir à guerra como “operação militar especial” feita para “desnazificar” a Ucrânia.

“O que está acontecendo na Ucrânia é um crime, e a Rússia é agressora. A responsabilidade pela agressão é de um homem: Vladimir Putin. Meu pai é ucraniano, minha mãe é russa, e eles jamais foram inimigos”, afirma no vídeo. “O mundo inteiro virou as costas para nós, e nem dez gerações de nossos descendentes vão limpar essa guerra fratricida.”

Terminou sem consenso mais uma reunião entre russos e ucranianos. A negociação de um cessar-fogo será retomada na terça-feira (15/3). O encontro acabou com uma “pausa técnica”.

Representantes da Rússia e da Ucrânia conversaram por videoconferência para tentar solucionar o conflito que já dura 19 dias. A invasão começou em 24 de fevereiro.

Os ataques se tornaram mais violentos nos últimos dias. Kiev, capital ucraniana e coração do poder, está cercada. Civis são alvo de bombardeios.

As conversas foram classificadas como “difíceis” pelo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

“Foi feita uma pausa técnica nas negociações até amanhã, para trabalho adicional nos subgrupos de trabalho e esclarecimento de definições individuais. As negociações continuam”, informou um dos principais negociadores ucranianos, Mykhailo Podoliak.



Postar um comentário

0 Comentários