Publicidade

Bebê de 6 meses abusada pelo padrasto não resiste aos ferimentos e morre | Brazil News Informa



Bebê de 6 meses abusada pelo padrasto não resiste aos ferimentos e morre | Brazil News Informa




Luto em Pontes e Lacerda no Mato Grosso: morreu nesta quinta-feira (10) a bebê Mariah, de apenas 06 meses de idade. Ela foi covardemente abusada pelo padrasto.

Ela estava internada no Hospital Vale do Guaporé e segundo informações seu estado de saúde se agravou e foi necessário uma remoção urgente para a capital do estado, porém, a pequena Mariah não resistiu e veio a óbito no caminho.

O caso

O homem de 31 anos, suspeito de abusar intimamente da filha de sua namorada, uma bebê de apenas seis meses, teve a prisão temporária cumprida na manhã da última quarta-feira (09.03), em Pontes e Lacerda.

A prisão foi representada à Justiça pela Polícia Civil depois que a equipe da Delegacia de Pontes e Lacerda reuniu informações que apontaram o suspeito como o possível autor de abuso intimo contra a bebê.

A delegacia foi comunicada pelo Conselho Tutelar, na manhã de terça-feira, sobre o estado da criança que deu entrada no Hospital Vale do Guaporé com indicativos de um possível abuso. A menina, que tem deficiência, continuava hospitalizada, pois apresenta também um quadro de pneumonia.

Os exames realizados na unidade hospitalar indicaram que a criança sofreu abuso intimo. No hospital, a mãe da bebê tentou atrapalhar o trabalho da equipe médica ao ser comunicada que a filha passaria pelos exames.

A equipe da Polícia Civil, com apoio da PM, realizou diligências para reunir mais informações e localizar o suspeito, que foi conduzido à delegacia.

A mãe da bebê também foi encaminhada à unidade policial e ouvida pelo delegado Matheus Prates de Oliveira. Ela declarou que tinha um relacionamento com o suspeito há dois meses, desde que ele havia saído de uma unidade prisional, onde ficou detido por outros crimes.

A mulher disse também que não confiava no companheiro, pois sempre que ele fazia uso de substância entorpecentes gostava de pegar a bebê no colo e de brincar com a outra filha dela, de sete anos. Já o suspeito permaneceu em silêncio durante o interrogatório.

Com base nas informações colhidas nas diligências iniciais, o delegado Matheus Prates instaurou inquérito e representou pela prisão temporária do suspeito, que foi deferida pela Justiça.

O delegado vai apurar também a conduta da mãe, se ela tinha ciência dos atos praticados pelo suspeito e se foi conivente com a situação.


Postar um comentário

0 Comentários