Mulher corta o órgão genital de ex durante relação após saber de abuso contra o filho em MG | Brazil News Informa



Mulher corta o órgão genital de ex durante relação após saber de abuso contra o filho em MG | Brazil News Informa


O silêncio das ruas de Crucilândia, na região Central de Minas, foi rompido anteontem por uma cena assustadora. De repente, na escuridão da noite, um homem de 32 anos surgiu correndo segurando o órgão, parcialmente cortado. Atrás dele, uma mulher de 29 anos, com uma faca na mão, corria tão ou mais desesperada do que o homem, na ânsia de “acabar o serviço” e tirar o membro da vítima por completo. Felizmente, ele conseguiu chegar à polícia, foi levado ao hospital e salvou o “amigo”, que foi costurado. A mulher foi presa.

O caso teria começado por “vingança”. A suspeita contou à polícia que o filho do casal, de 4 anos, teria sofrido abuso praticado pelo pai. Por isso, ela arquitetou o crime e, para atrair o homem, marcou um encontro na casa dele.

Durante a relação, a mulher pegou uma faca e realizou o serviço, momento em que ele correu desesperado e lutou para salvar o órgão. Mas a história não acaba por aqui: a polícia espera o homem receber alta médica para ser ouvido. Um inquérito será aberto para investigar se houve abuso contra o menino, que está com uma tia.

Já a mulher se deu mal duas vezes: ao prendê-la por lesão corporal grave, a polícia constatou que ela tem mandado de prisão por homicídio.

Para a polícia, a mulher contou que tinha um relacionamento conturbado com o ex-companheiro. “O relacionamento teria durado cerca de três anos, e há quatro eles estavam separados. O menino morava com o pai, que mantinha a guarda provisória da criança”, explica o delegado Marcelo Calli. 

"Dá para consertar"

Afinal, o que fazer se alguém, por acaso, tiver o "menino" cortado?
Segundo o urologista Alex Santos, mesmo se o órgão for completamente decepado, o reimplante é possível. “Para o reimplante ter sucesso, o órgão precisa estar bem preservado, guardado, por exemplo, em um recipiente com gelo”, diz ele.

Mas tem uma má notícia: após a cirurgia, a dureza pode ficar comprometida.

Fonte: O Tempo

Postar um comentário

0 Comentários