Policiais andam com vítima de estupro sem nada em viatura e debocham do caso | Brazil News Informa



Policiais andam com vítima de estupro sem nada em viatura e debocham do caso | Brazil News Informa





Uma vítima de estupro denunciou o atendimento prestado pela polícia, no Rio de Janeiro. Levada sem nada na viatura, ela contou ainda que os policiais militares debocharam da situação. Na investigação da ocorrência, mais descaso: a busca por imagens de câmeras de segurança no local do ataque foi feita pelo noivo da vítima. 

Imagens das câmeras de segurança mostram uma mulher de blusa branca caminhando até o ponto de ônibus. Depois ela aparece com um homem de preto. Ele está armado e leva a vítima até um terreno, onde ela é estrupada.

O vídeo também mostra quando o suspeito deixa o local.  

Minutos depois de sofrer a violência intima, a mulher correu procurando ajuda. Alguns metros do local do crime, ela encontrou quatro policiais militares. E, passou por mais uma humilhação.  

Segundo a vítima, ela saiu sem nada do terreno e procurou ajuda dos policiais militares que negaram, por conta de uma ocorrência de um carro roubado. Um dos policiais voltou atrás e levou a vítima, que se encontrava desesperada. Ainda de acordo com a vítima, um dos policiais debochou do fato da vítima se encontrar sem nada, e disse que não tiraria a farda.  

Câmeras de segurança captaram a vítima saindo sem nada da viatura da Polícia Militar. Os policiais a conduziram até sua casa e não para uma delegacia. “Um deles ligou para minha mãe, que abriu o portão da rua e eu desci sem nada da viatura”, conta a vítima. 

A família relata que quando procurou a Polícia Civil, por conta própria, teria sido orientada a procurar câmeras de segurança que pudessem ajudar na investigação. Quem conseguiu as gravações foi o noivo da vítima. 
 
O crime ocorreu no dia 20 de novembro. Poucos dias depois, um suspeito foi detido. A vítima o reconheceu na delegacia. Mas, segundo ela, o laudo do exame de corpo de delito no instituto médico legal não ficou pronto até hoje. Por causa disso, o suspeito foi liberado.

Reportagem: 




Postar um comentário

0 Comentários