Advertisement

Responsive Advertisement

Mãe permite que duas filhas sejam mortas em sacrifício humano | Brazil News Informa


Mãe permite que duas filhas sejam mortas em sacrifício humano | Brazil News Informa

Uma mãe de 31 anos, moradora nacidade Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, . permitiu que que seu companheiro matasse sua filha de 10, em um ritual de “sacrifício humano ” para que a gravidez dela desse certo.

Ana Lívia foi encontrada nesta terça-feira (26) , enrolada em uma capa de um colchão, embaixo da cama, em um barracão no bairro Perobas. Os policiais que investigam o casol, descobriram que o imóvel havia sido alugado pela mãe e pelo padrasto da vítima, que fugiram do local após o crime.

Em depoimento, o homem contou que entidades exigiram o “sacrifício” de Ana Lívia para que a gravidez da companheira, que estava no sexto mês de gestação, desse certo.

Durante a investigação, a Polícia descobriu ainda que a outra filha da dona de casa, de apenas 4 anos, foi morta há seis meses, com a permissão da mãe, pelo mesmo motivo. O corpo da menina ainda não foi localizado.

Ana Lívia tinha apresentava sinais de espancamento, sangramento na região genital (em função das agressões), queimaduras de cigarro, traumatismo intracraniano e diversas fraturas.

O padrasto da vítima foiu o primeiro a presta depoimento, pois a mulher foi levada à um um hospital de BH, para receber atendimento médico por causa da gravidez.

Após ser levada para a delegacia para depor, a mãe da vítima se negou a cooperar. Porém, logo seguida, após permissão do marido, ela contou em detalhes o que havia acontecido, confirmado a discussão com a filha e o espancamento do qual a menina foi vítima.

De acordo com seu depoimento, enquanto a filha ainda agonizava, ela foi esquentar o jantar para o companheiro que assassinava a menina.

Ainda em seu depoimento, ela admitiu que a filha caçula, Stefany, também foi vítima do mesmo ritual religioso. O crime teria acontecido entre o final de fevereiro e o início de março, em Divinópolis, no centro-oeste de Minas.

De acordo com as informações do Pleno News, já com a menina morta, o casal se deslocou para a Região Metropolitana de BH, para se desfazer do corpo. Em seguida, foi passear em Porto Seguro, na Bahia, com Ana Lívia, que havia testemunhado a morte da irmã. O homem e a mulher chegaram a tirar fotos na praia.


Fonte: gospelcontei

Postar um comentário

0 Comentários