Advertisement

Responsive Advertisement

Bolsonaro volta a mentir e atacar as urnas eletrônicas para inflar manifestações | Brazil News Informa


Bolsonaro volta a mentir e atacar as urnas eletrônicas para inflar manifestações | Brazil News Informa


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a mentir sobre o processo eleitoral e a atacar a democracia e o sistema de votação nesta segunda-feira (23), durante uma entrevista à Rádio Regional, de Eldorado (SP), com o intuito de inflamar apoiadores para os atos de 7 de setembro, marcados para São Paulo e Brasília. As informações são da Folha.

O presidente voltou a defender a tese do voto impresso para as eleições de 2022 e a afirmar que os votos são contados em um “quartinho secreto, por meia dúzia de pessoas”, o que é mentira.

“O que que é a alma da democracia? É o voto. O povo quer que você, ao votar, tenha a certeza de que o teu voto vai para o João ou para a Maria. Não quer que, num quartinho secreto, meia dúzia de pessoas conte os seus votos”, disse Bolsonaro.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, assim que a votação é encerrada no dia da eleição, os presidentes das seções eleitorais encerram a coleta de votos e, em seguida, a urna eletrônica imprime o Boletim de Urna, um extrato dos votos depositados pelos eleitores para cada candidato e legenda.

Esses boletins são divulgados imediatamente na porta de cada seção eleitoral para transparência, e outras vias dos mesmos boletins são entregues aos cartórios eleitorais e aos representantes ou fiscais dos partidos.

A totalização dos votos é computada pela soma de todos os boletins de urna, sem qualquer interferência humana, no TSE, em Brasília.

Bolsonaro também insistiu mais uma vez em falar que houve um ataque de hackers ao sistema do TSE em 2018, motivo pelo qual ele já é investigado pelo STF por vazamento de informações sigilosas. Segundo o TSE, nunca houve fraude no sistema de apuração das urnas eletrônicas.

“A gente espera que tenhamos eleições limpas, democráticas e com contagem pública de votos no ano que vem. Não podemos conviver com essa suspeição”, disse o presidente.

Mais tarde, durante uma conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que está conspirando para que todos cumpram a Constituição, sem dar detalhes dessas supostas ações.

“Só tenho uma coisa a falar. Estou conspirando, sim, e muito. Para que todos cumpram a nossa Constituição, ok? Essa é a minha conspiração. Cumpram a Constituição, só isso”, disse o presidente.

Bolsonaro também prometeu enviar ao Senado um pedido de impeachment do também ministro do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso, contra quem tem feito ataques sistemáticos em suas investidas retóricas na defesa da implementação do voto impresso, rejeitado pelo Congresso no último dia 10.

Na última sexta-feira (20), o presidente entregou à Casa um pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes, que conduz o inquérito das fake news no qual ele foi incluído por declarações feitas em uma de suas transmissões semanais pela internet contra o sistema de voto eletrônico.


Fonte: Istoé, Estadão

Postar um comentário

0 Comentários